O PLANETA DOS MACACOS: A GUERRA

Por Samuel Guizzo Antunes

Em 1968 estreava nos cinemas o clássico da ficção científica, O Planeta dos Macacos, baseado na obra do francês Pierre Boulle. Estrelado por Charlton Heston, a história acompanha um astronauta que, ao aterrissar seu modulo espacial em um planeta desconhecido o descobre repleto de seres humanos escravizados por macacos humanoides capazes de falar. O filme rendeu quatro continuações razoáveis e mais uma série de televisão.

Em 2001, Tim Burton reviveu a franquia propondo alterações na história, agora um amálgama dos cinco filmes anteriores. O resultado dividiu opiniões; apesar do elenco (Mark Wahlberg, Tim Roth, Paul Giamati, Helena Bonham Carter) e dos ótimos efeitos práticos, seu final confuso, que pretensiosamente apostava em futuras continuações, não satisfez a maioria do público.

Dez anos depois, novamente a franquia retorna ao cinema, dessa vez revitalizada pelas mãos do inglês Rupert Wyatt. Em Planeta dos Macacos – A Origem, acompanhamos a história de César, um chimpanzé que tem suas capacidades cognitivas aguçadas quando exposto a um composto químico criado com a finalidade de combater o mal de Alzheimer. Percebendo que os humanos jamais deixariam de enxergá-lo apenas como cobaia, César inicia uma revolução, junto de mais uma centena de outros símios. A acertada escolha de contar a história através de um viés mais realista trouxe uma bem vinda novidade à franquia, que não parecia mais relevar.

Em 2014, estreia sua continuação: O Planeta dos Macacos – O Confronto. Situado 10 anos após o primeiro, este apresenta um planeta Terra quase sem humanos – todos à beira da extinção devido à propagação de um vírus letal. Os poucos sobreviventes lutam para suprir suas necessidades básicas, enquanto travam conflitos constantes com os macacos. Superior ao anterior em todos os aspectos, mérito em grande parte do novo diretor, Matt Reeves, o filme figura dentre as melhores ficções cientificas dos últimos anos.

Agora, em 13 de julho de 2017, chegará aos cinemas a terceira parte da saga: O Planeta dos Macacos – A Guerra, concluindo a revolução iniciada por César. A produção, também dirigida e co-escrita por Matt Reeves, conta com Woody Harrelson no papel de um militar sádico, disposto a erradicar todos os símios, além de Andy Serkis (em captura de movimentos) reprisando o seu papel como César. Imperdível!