Logan

Por Adilton Ribeiro de Souza

Estreia das últimas semanas, o filme “Logan” encerra o ciclo original dos X-Men no cinema, iniciado há 17 anos com “X-Men: O Filme” (X-Men, 2000). Também é a despedida de Hugh Jackman como intérprete de Wolverine, um dos mutantes mais populares da franquia. O longa é o mais diferente dos filmes da Marvel e pode-se dizer que essa maturidade abre um bom precedente para as próximas produções da empresa.

“Logan” tem a direção de James Mangold, que já havia dirigido “Wolverine — Imortal” (The Wolverine, 2013). O diretor declarou em entrevistas que não queria fazer um filme igual e isto fica claro aqui, por conta de uma certa ousadia e pela ausência de alguns estereótipos dos demais longas da Marvel. Já nos primeiros minutos de filme, é possível notar um clima diferente, acompanhado de um grau de violência bastante explícito.

O filme é sucesso de crítica e de público: no primeiro fim de semana de exibição, liderou as bilheterias nos EUA e no Brasil. Realizado com cuidado e muita dedicação, principalmente por parte de Hugh Jackman, “Logan” honra os legados do personagem e de seu intérprete e se destaca em meio às demais produções de super-heróis.

Veja o trailer: