Homem-Aranha: De volta ao lar

Por Johny Strassburger

Homem – Aranha: De Volta ao Lar representa um novo recomeço nas histórias cinematográficas de nosso amigo aracnídeo. Depois dos 3 primeiros filmes com Tobey Maguire e os outros dois posteriores com Andrew Garfield, somos apresentados ao novato ator Tom Holland, que interpreta nosso querido Peter Parker na adolescência, ainda anestesiado e entusiasmado devidos aos acontecimentos de “ Guerra Civil ”, pronto para a próxima missão, como ele mesmo deixa claro, em muitas cenas do filme. Peter volta para o Queens, tentando ajudar o bairro da maneira como pode, até então sem maiores problemas, até o surgimento do vilão Abutre.

Tony Stark/Homem de Ferro faz uma pequena aparição na película, seja para ajudar o cabeça de teia ou para dar os devidos conselhos, ao melhor estilo irmão mais velho. Tony após contar com a ajuda de Peter em Guerra Civil, acaba por ajudar o garoto desenvolvendo-o sua mentalidade, tanto na parte humana/adolescente, quanto na parte de super-herói com seu novo uniforme e dispositivo.

Uma novidade do filme é o grupo de atores mirins, até então desconhecidos, que surpreendem com ótimas atuações, destaque para o hilário Ned, interpretado por Jacob Batalon, com ótimas cenas cômicas. Destaque também para a atriz Laura Harrier, que faz a doce Liz, o primeiro amor colegial do nosso herói. Temos que destacar também Michael Keaton, como Abutre. Um vilão com uma história interessante. Após os acontecimentos de Vingadores 1, ele acaba perdendo seus direitos de propriedade sobre os restos e escombros da invasão alienígena, sendo “obrigado ” a focar para planos diferentes e assim, sendo um exímio engenheiro eletrônico, constrói armas alienígenas para posteriormente vende-las ao mercado negro.

Os produtores acabaram acertando em cheio ao construírem o vilão dessa forma, pois vai da mesma forma como outros acontecimentos em que primeiro se vê somente um lado da história, com destaque para os heróis, seus atos de bravura, salvando milhares de pessoas e somente mais tarde temos realmente uma segunda concepção de que nem tudo é um mar de rosas, pois devido à intervenção, tanto as cidades quanto as pessoas acabaram sendo prejudicadas de uma maneira ou de outra.

Resumindo, creio que finalmente chegou-se à um consenso sobre o ator certo a interpretar nosso “ amigão da vizinhança ”. Tom Holland dá ao personagem o aspecto juvenil, encarna com perfeição o adolescente com várias dúvidas na cabeça num momento de transição (ponto para o ator que conseguiu interpretar um adolescente de 15 anos, tendo já seus 21 anos) e que mesmo sabendo que as coisas nem sempre dependem dele, ele sempre irá tentar, tendo em vista os poderes e a responsabilidade que carrega.