Edição 2015 do Festival Varilux de Cinema Francês

DE 10 A 17 DE JUNHO, PÚBLICO BRASILEIRO PODERÁ ASSISTIR ÀS ATUALIDADES DA PRODUÇÃO CINEMATÓGRAFICA FRANCESA EM MAIS DE 50 CIDADES

Olivier Nakache e Eric Toledano levaram mais de 40 milhões de espectadores no mundo ao cinema em 2011, entre os quais 1,1 milhão no Brasil, com o sucesso de bilheteria “Intocáveis”. Em 2015, eles desembarcam no país para participar do Festival Varilux de Cinema Francês e apresentar o mais recente trabalho, “Samba”, repetindo dobradinha com o ator Omar Sy, que superou a marca de três milhões de espectadores na França.

A edição deste ano do evento, que acontece de 10 a 17 de junho, promete bater vários recordes; além do número de cidades aumentar para 50 (80 cinemas), o festival pretende chegar a todas as capitais brasileiras com grandes novidades do cinema francês. A meta de público também cresce: a expectativa é levar mais de 110 mil pessoas aos cinemas em uma semana para assistir aos 16 filmes em cartaz, um acréscimo de 10% em relação a 2014.

Apenas um mês após o maior evento de cinema do mundo, o Varilux traz para o público brasileiro o filme de abertura do festival de Cannes: “De cabeça erguida“, com Catherine Deneuve e Benoît Magimel. A diretora Emmanuelle Bercot, segunda mulher a abrir o festival de Cannes, virá ao Brasil para apresentar o longa.

Na programação, também estão confirmados a comédia “Que mal eu fiz a Deus?,de Philippe de Chauveron, fenômeno de bilheteria na França em 2014 com mais de 15 milhões de espectadores; “Gemma Bovery – A vida imita a arte”, de Anne Fontaine, uma divagação contemporânea sobre o romance Madame Bovary; “Papa ou Maman”, de Martin Bourboulon, comédia politicamente incorreta sobre um divórcio à francesa; e “Astérix e o Domínio dos Deuses”, de Louis Clichy, primeira animação em computação gráfica e 3D baseada em histórias em quadrinhos.

Em solo brasileiro, Nakache e Toledano terão a companhia dos galãs franceses Pio Marmai e Tahar Rahim, respectivamente no elenco dos filmes “Beijei uma garota” e “Samba”, do ator Noom Diawara e do diretor Philippe de Chauveron, de “Que mal eu fiz a Deus?”, e dos diretores Anne Fontaine (“Gemma Bovery – A vida imita a arte”), Audrey Dana (“O que as Mulherem Querem”), Cécile Telerman (“Os Olhos Amarelos de Crocodilos”), Emmanuelle Bercot (“De cabeça erguida“), Martin Bourboulon (“Papa e Maman”) e Patrick Bruel (“Sexo, amor e terapia”).

Com produção da Bonfilm, o evento conta também com as atividades paralelas, como Oficina Franco-Brasileira de Roteiros, que neste ano vai para sua quarta edição, com apoio direto da Riofilme e ABPITV, exibições ao ar livre e gratuitas na concha acústica da UERJ, sessões populares distribuídas por diferentes espaços alternativos do Rio de Janeiro, como a Arena Dicró, Masterclasses de direção com Anne Fontaine com entrada franca, e ação educativa que levará exibições gratuitas para escolas em mais de 15 cidades.

Repetindo o sucesso do ano passado, o festival exibirá ainda um grande clássico francês. O escolhido da vez é o filme “O Homem do Rio”, de Philippe de Broca, clássico lançado em 1964, com Jean-Paul Belmondo e Françoise d’Orléac, que será apresentado como parte das comemorações dos 450 anos da Cidade Maravilhosa.

E também, como é perfil da mostra, haverá uma retrospectiva, dessa vez, em homenagem a um dos mais promissores atores da atualidade na França, o Pio Marmai. Serão seis títulos em exibição no Instituto Moreira Salles (RJ) e Museu da Imagem e do Som (SP), incluindo o grande sucesso “Alyiah”, de Elie Wajeman, “Um Amor em Paris”, de Marc Fitoussi, e “O primeiro dia do resto da tua vida”, de Rémy Bezançon.

O Festival Varilux já se consolidou como o primeiro festival de cinema com abrangência nacional, fazendo parte do calendário cultural do Brasil. Para Arnaud Ribadeau Dumas, presidente no Brasil da Essilor/Varilux – multinacional francesa fabricante exclusivo das lentes multifocais Varilux® e do antirreflexo Crizal® -, empresa que patrocina o evento desde a primeira edição, o objetivo da companhia em incentivar e disseminar a cultura no Brasil está, a cada ano, sendo alcançado. “Há mais de uma década apostamos nessa iniciativa. Assistir o avanço e a ampliação de sua abrangência Brasil a fora, inclusive em cidades fora dos grandes centros, nos dá a certeza de que fizemos a coisa certa”, afirma o presidente.

Segundo o diretor da Bonfilm e do festival, Christian Boudier, o Varilux já se tornou um dos principais eventos de cinema do país. “O festival é um dos mais aguardados pelo público brasileiro, além de ser um dos mais eficientes para promover a cultura e a imagem da França no Brasil”

 

Confira a programação completa.